touring with Sharath

3.8.17




PT
Esta é a minha primeira vez com o Sharath em tour... Até agora sempre me foquei mais em Mysore por ser o local de peregrinação por excelência e porque ir à índia é uma necessidade… mas este ano não consegui Mysore, decidi então experimentar o tour europeu. Copenhague foi minha primeira escolha - gostava de conhecer esta cidade, a ideia da livre Escandinávia há muito que me atraía. 
E aqui estou, feliz. Sabia, mas sem total consciência, o quanto precisava da energia de Sharath, da orientação, da supervisão e até dos nervos de praticar com o Professor, aquelas borboletas na barriga, como se de novo voltasse a ser menina. De facto, aqui se sente a energia Mysore. Suo na prática, rezo nas posturas difíceis, concentro-me, entrego-me ao momento. E não há nada melhor. Viver a inspiração. Sentir o yoga nas nossas vidas.
Além disso, voltar a ver amigos lindos que não via há tanto tempo, conhecer novos que sabemos que ficam para sempre, praticar com a comunidade Ashtanga, a energia que produzimos juntos é única. 
Sharath faz-nos acreditar que este é o caminho. Ensina o respeito pela nossa prática e por nós mesmos e como tudo isso é sagrado. Sadhana. 

E hoje é um dia especial, a minha primeira led intermediate. Este é um momento importante na prática.. e por isso peço aos espíritos e aos deuses por proteção, paz interior e estabilidade. Para ser forte e manter o foco na minha respiração. Para desfrutar a experiência, as primeiras vezes são únicas e apenas uma.

EN
This is my first time with Sharath on tour.. I always focused in Mysore and this year i didn't get in so I decided for the European Tour. Copenhagen was my first choice - for so many years I wished to visit this city - I was always attracted by the idea of Scandinavia and the freedom of this countries.
so here I am, happy. Its perfect. I needed Sharath´s energy, guidance, supervision and.. as, its part of the package, all the nerves around practicing with him, these butterflies in the stomach, again you feel as a little girl. Definitely, there is a little Mysore energy around. Again I sweat, I pray during practice, I focus, I surrender to the moment. And there is nothing so good. 
Also, to see beautiful friends again which I hadn't seen since so long, and meet new ones which you know are part on the journey, to practice with the Ashtanga community, gosh I missed this feeling. 
The energy we produce when together is unique.. I missed hearing Gurujis voice and being at his presence. 
Sharath is my biggest inspiration of what yoga means in my life. He makes me believe this path is the one. He teaches us respect for our practice and for ourselves and how sacred all of this is. 
And today is a special day, my first led intermediate. Just asking the spirits and the gods for protection, inner peace and stability. To be strong and maintain the focus on my breath. To enjoy the experience as first times are unique and only one. 









Dia da União, dia do Yoga

21.6.17


PT
O dia 21 de Junho é sempre um dia que recebemos alegremente no hemisfério Norte. É a chegada oficial do Verão, o solstício que acontece todos os anos, quando os dias são maiores e quentes e a luz e o sol são uma certeza. Pois este ano vai ainda ser mais especial, pois comemora-se o dia internacional do yoga, com a chancela das Nações Unidas.

O primeiro-ministro indiano Narendra Modi decidiu partilhar, desde o ano passado, uma tradição que é de raízes hindus, e tornar este dia para o mundo, para o yoga, para a união desta prática ancestral com a mais do que necessária transformação moderna. 
Assistimos a tantas e constantes mudanças no planeta, há uma energia instável por todo o lado, sentimos o quente no ar. Aqui em Portugal sentimos ainda a dor do que aconteceu em Perdigão Grande. Ainda ontem escrevi pela Sara e por todas as Saras que foram apanhadas pelas chamas desmesuradas do fim-de-semana. 
Temos de nos manter fortes e abrir a consciência. Não continuar a ser parte do problema. Sim, somos parte do problema, todos os dias. 
E também tudo o que nos rodeia vai continuar, seja a morte de inocentes, seja a instabilidade financeira, sejam as guerras, seja o destruir do nosso planeta lindo. Os interesses do mundo têm uma visão muito pequena do que é a vida. Vamos deixar de compactuar. É tempo de acordar e fazermos a mudança individual e levar a consciência e ir para um nível superior. O yoga é um caminho poderoso para este salto. A Sara é exemplo disso. 
Hoje sabemos que esta prática é uma forma de nos conectarmos com a essência e raiz e sermos uma expressão do divino. Yoga significa união. É preciso unirmo-nos. Comece consigo, pratique e sinta a energia do seu corpo e mente a abrir. Os dias começam a ser diferentes. Depois é levar a prática para a família, trabalho, comunidade e mais. Porque yoga é para todos, não é apenas para os corpos magros e flexíveis. Isso quase nem existe. É para todos, de professores a empresários, políticos e cientistas, facilitadores. Já não é uma prática para apenas alguns, é uma forma de estar e de viver. Ainda pensa que é uma moda? 
Em que momento esteja, comece, experimente, aproveite esta celebração que é universal. Conhece um estúdio perto de sua casa mas nunca entrou? Entre, vá conhecer. Faça um compromisso consigo próprio e dê um mês a este passo. Não desista, não deixe a mente ser superior, sempre que a mente der uma desculpa, é o ego a falar. Se resistir vai inspirar-se pela transformação que vai drasticamente melhorar o seu inteiro life-style.
Ou medite 5 minutos, sente-se numa posição confortável e respire, conecte com a sua respiração. Ou vá dar um passeio e usufrua da natureza, não pense nos mesmos problemas a toda a hora, eles vão lá estar mas mude a sua forma de olhar para eles. 
Se tem um estúdio, é professor, junte uns amigos e pratiquem juntos, criem a energia divina e partilhem este momento com o mundo. Onde quer que esteja, este é o dia e o momento para sermos yogis modernos e sermos a nossa melhor versão – seja como mãe, como profissional, como empresário ou como agente transformador. 
Aqui fica o desafio. Faça o dia 21 de Junho o seu dia também. 
O dia em que nos vamos oferecer o prazer de sermos felizes, completos e capazes e vamos tornar possíveis os nossos sonhos. O dia em que vamos dar espaço aos nossos obstáculos e ir além do tapete. Praticar para a mudança.

EN
June 21st is always a joyfully received day in the Northern Hemisphere. It is the official arrival of summer, when the days are the longest, when hot and the light and sun are a certainty. 
A year ago, the Indian Prime Minister Narendra Modi has decided to share a tradition that is of Hindu roots, and created this day for the world, for yoga, for the union of this ancestral practice with more than necessary modern transformation.
We witness so many and constant changes on the planet, there is an unstable energy everywhere, we feel the hot in the air. Here in Portugal we still feel the pain of what happened in Pedrogão Grande. Just yesterday I wrote in the name Sara and for all the ones who were caught up in the overpowering flames of the weekend.
We have to stay strong and rise our conscience. Stop to be part of the problem. Yes, we are part of the problem, every single day.
Everything around us will continue, whether the death of innocents, financial instability, wars, or the destruction of our beautiful planet. The interests of the world have a very small vision of what life is ll about.
It is time to wake up and make the individual change into consciousness. Yoga is a powerful way to jump. Today we know that this practice is a way of connecting with the essence and root and being an expression of the divine. Yoga means union. We need to unite. Begin with yourself, practice and feel the energy of your body and mind. The days start to be different. Then share the practice with family, work, community and more. Because yoga is for everyone, it is not just for lean and flexible bodies. That hardly exists. It is for everyone, from teachers to entrepreneurs, politicians and scientists, facilitators. It is no longer a practice for only a few, it is a way of being and living. 
Enjoy this UNIVERSAL celebration. Do you know a studio near your house but never entered? Go in and try out. Make a commitment to yourself and give one month to this new step. You will be inspired by the transformation that will drastically improve your entire life-style.
Or meditate for 5 minutes, sit in a comfortable position and breathe, connect with your breathing. Or go for a walk and enjoy nature, do not think of the same problems all the time, they will be there anyways, change the way you look at them.
If you have a studio, you are a teacher, join friends and practice together, create the divine energy and share this moment with the world. Wherever you are, this is the day and the moment to be modern yogis and be our best version - whether as a mother, as a professional, as an entrepreneur or as a transformative agent.
Here's the challenge. Make the 21st of June your day.
The day we are going to offer ourselves the pleasure of being happy, complete and capable and we will make our dreams possible. Practice for change.


Namaste querida Sara

20.6.17





































PT
Não estava em Portugal no dia da trovoada seca, nem soube de nada até domingo à hora do almoço. quando li mais de 50 mortos não queria acreditar, já era demais.. afinal até já eram mais de 60   mortos e mais muitos feridos mas entre malas, viagens, rádios alemãs a falar em Blitz pouco mais sabíamos... 
quando li e percebi a escala não consegui mais, de repente parece que começamos a ouvir os gritos e sentir as dores, a sentir o peso do desastre que por ser tão perto nos toca de forma diferente. ao aterrar em portugal via-se o fumo no céu, sentia-se o cheiro a queimado, o calor demasiado quente e seco, a energia forte, quente, pesada. 
não quis ver televisão porque já sei o que é, fiquei-me pelas fotos e li alguns artigos sobre «o que se estava a passar....» 
nenhuma de nós dormiu bem, a Carlota veio ter comigo, o calor era demais, não tínhamos tido tempo de nos habituar a 40ºC assim de um dia para o outro. 

não foi senão quando nem 7 da manhã eram que, na procura de mais pormenores sobre o que tinha corrido mal, vi um sorriso que tão bem conheço no meio das histórias dos fogos, pensei, não, não é a mesma Sara, não pode ser, ela tem outro nome, mas parece ela, vou ver, investigo, chego depressa à conclusão que era mesmo a Sarinha, uma menina linda, doce, de sorriso contagiante, daquelas portuguesas que dizia que estava sempre tudo bem, acabada de casar e que me ia visitar a Bali, que ficou feliz com o meu livro, com um coração de ouro e um irmão lindo que em tempos foi meu professor de yoga, ficamos conectados até hoje e a Sara... não quis acreditar.
Afinal dos mais de 60 mortos havia um rosto para mim, uma vida que me era próxima.. foi então que senti a dor como se a Sara pedisse ajuda e eu já não a conseguisse ajudar e entre a minha impotência e o sofrimento da Sara pouco mais ficava do que uma lágrimas de incompreensão porque a Sara era linda e nova demais nos seus 33 para partir assim...
ainda esperei que o Marco me dissesse que não, que ela estava bem mas, no seu sempre tom carinhoso e coração puro, de quem sabe que a vida é feita para aceitar, afinal me diz que sim, que ela gostava de mim e que lhe dizia que mantínhamos o contacto.. mas afinal a visita a Bali com o Duarte não chegou a acontecer.. 
querida Sara, hoje estive ao teu lado, recordei-te como me lembro de ti, sorridente e carinhosa, sempre atenta aos outros, dedicada à família. entreguei-te a minha prática e homenageei-te nas minhas aulas, foi o pequeno contributo que podia oferecer à tua alma de anjo. também uma yogini no coração que levou o yoga por onde ía e até o introduziu a muitas pessoas naquela zona da Beira Interior. A Sara era o yoga em pessoa, amada por todos, acarinhada por todos, nela não havia desunião. 
um namaste Sara, sinto-me orgulhosa de ter feito parte da tua vida e sei que na próxima nos vamos encontrar mesmo em Bali. que a tua vida seja um exemplo para todos nós, de que a vida é para sorrir e amar, ser feliz cada dia. que a tua morte abra a consciência dos que podem mudar o curso das coisas em nome do bem estar de todos. 
um beijo querida. agora definitivamente és o que nasceste para ser, um anjo no céu. 

EN
I was not in Portugal on the day of the dry thunderstorm, nor did we know anything until Sunday  lunchtime. When I read that more than 60 people were dead I did not want to believe, it was already too much .. 
When I read and realized the scale we start to hear the screams and feel the pain, we begin to feel the weight of the disaster that by being so close touches us differently. When we landed in Portugal, we could see the smoke in the sky, we could smell the burning, the heat was too hot and dry, the energy was strong, hot and heavy.
None of us slept well, Carlota came to me, the heat was too much, we had not had time to get used to 40ºC from one day to the next.

It was not until seven in the morning next day that, in search of more details about what had in fact gone so wrong, I saw a smile that I know well in the midst of the stories of the fires, I thought, no, it's not the same Sara, it can not be, she has a different name, but she looks like...  I investigated, I needed to know, and I quickly arrived to the conclusion that it was really Sara, a beautiful, sweet and young girl with a contagious smile, just married and she was going to visit me in Bali..
After all of the more than 60 people who died there was a face for me, a life that was close to me. It was then that I felt the pain as if Sara asked for help and I could no longer help her and between my impotence and the suffering of the Sara just tears of misunderstanding because Sara was beautiful and too young in her 33 to leave like this ...
I still waited for Marco, her beautiful brother and an amazing yoga teacher, to tell me no, that she was fine, but in his always affectionate tone of someone who knows that life is meant to accept, after all he says yes, that she liked me a lot and were in contact.. but after all the visit to Bali with Duarte did not happen ...
Dear Sara, today I was by your side, I remembered you as I remember you, smiling and affectionate, always attentive to others, dedicated to the family. I dedicated you my practice and honored you in my classes, it was the small contribution I could offer to your shinny soul. 
Sara was a yogini in the heart who took the yoga where she would go and even introduced the practice to many people in that area of ​​Portugal. Sara was the yoga in person, loved by all, cherished by all, there was no disunion in her heart.
To Sara a namaste. I'm proud to have been part of your life and I know we'll find ourselves in Bali next time. May your life be an example for all of us, that life is to smile and love, to be happy every day. May your death open the conscience of those who can change the course of things in the name of the well-being of all.
Sending love my dear. Now you are definitely what you were born to be, an angel in the sky.




We say yes!

10.6.17

PT
Desta vez a viagem foi até um hotel bem no centro de Lisboa.. para celebrar o Global Wellness Day, um evento criado para juntar todos os que no mundo querem viver melhor, sentir-se mais saudáveis, não só fisicamente mas também espiritualmente .. parece-me que um sonho de todos.. mas quantos de nós de facto trabalham nesse sentido? Pois então há dias para tanta coisa, porque não para o grande sonho da humanidade? 
O desafio é simples: um dia pode mudar a vida. O dia é hoje, pode tomar a decisão que mude a vida. Praticar yoga, passear, ter tempo para os filhos, fazer meditação, ter pensamentos positivos, não consumir tanto, ter consciência, etc... Escolha algo que se adeque a si e avance! Seja a melhor versão de si mesmo!

ps: obrigada ao Chef Daniel Schlaipfer pelo fantástico brunch after practice e à fantástica equipa do Sofitel (e aqui deixo um beijinho especial à incansável Fátima)! A muitas mais manhãs assim!

EN
The journey this time was into a hotel in the center of Lisbon .. to celebrate Global Wellness Day, an event bringing together all those in the world who want to live better, feel healthier, physically and spiritually.. a dream for humanity... but how many of us actually work in this direction? 
The challenge is simple: one day can change your whole life. And the day is today, you can make that life-changing decision. Practice yoga, walk, take time for the children, meditate, have positive thoughts, don´t consume so much, be aware.. Just choose something that suits you do it! Be the best version of yourself!

Ps: Thanks to Chef Daniel Schlaipfer for the fantastic brunch after practice and the fantastic Sofitel team (and here I leave a special kiss to the restless Fatima)! Wishing many more!








Yoga-me goes to the city!

6.6.17





PT
Fim-de-semana em cheio!
Comecei com uma aula na turma da Carlota da escola alemã... escolhi fazer uma aula de agradecimento.. ao sol, à lua, às árvores e plantas, aos amigos, à família... nestes agradecimentos fazemos posturas de yoga e todos nos divertimos. Como sabem, as posturas de yoga estão associadas à natureza e por isso é sempre giro relembrar isto quando praticamos com crianças. 
No fim, como exercício de meditação que escrevessem a qualquer coisa que estejam agradecidos. 
O resultado é tão lindo.. em várias línguas «eu agradeço...»
... que a minha mãe me faça boa comida
... à linda vida que tenho
... ao mundo 
... ao meu gato que é tão fofo
... o carinho que a minha família me dá
... pela aula de yoga estou a fazer
... pelas minhas amigas fantásticas
... ao Sol e à minha mãe e pai
... ao mundo porque vivo e tenho uma vida boa, para lá da escola...

o que sinto no fim é que estas crianças lindas conectam super rápido com o yoga, meninas e meninos. e muito precisam pois são crianças sujeitas ao ritmo doido dos adultos e de horários escolares parecidos a um 9 - 5  job... sem ninguém parar para pensar no que estamos a fazer vos nossas crianças...  

No sábado, mesmo com um frio de rachar para verão e um vento digno de Gone with the Wind, seguimos para a Feira do Livro na que foi a primeira aula de yoga de evento que já dura há 87 anos!! Foi super lindo, mesmo com a azáfama conseguimos manter a energia. as pessoas paravam, ficavam curiosas e ao ver-nos a praticar havia um sorriso por vezes meio escondido em cada um.. 
Não consigo mas vou ter de aqui fazer um paste da mensagem da Vanessa, que é do Funchal e aproveitou para vir fazer a aula comigo! Espero que não te importes Vanessa mas gostei tanto da tua mensagem 
«Não podia deixar de expressar a minha gratidão pelo workshop de ontem na feira do livro, foi tão bom, voltei para o Funchal de coração cheio e com um sorriso nos lábios! Adorei conhecê-la, ao vivo e a cores, porque penso que posso ter a presunção de dizer que já conhecia um bocadinho através do livro! Apesar da confusão que estava à nossa volta, senti-me profundamente conectada, gratidão profunda! Beijinhos» - que querida, quem agradece sou eu! 
Boas viagens  e até breve 

EN
Full on weekend! 
I started with a yoga class at Carlota´s class at the German school in Lisbon.
I chose to give a thankful class ... giving thanks to the sun, to the moon, to the trees and plants, the friends, the family ... giving thanks, we do yoga poses with lots of fun! 
As you know, yoga postures are associated with nature and so it is always a good idea to remember this when practicing with children. 
In the end, as an exercise in meditation they would write anything they are thankful for. 
The result is so beautiful .. in several languages ​​
«I am thankful to..
my mother who makes me good food
to the beautiful life I have
to the world ... 
to my cat that is so cute 
to the affection my family gives me
for the yoga class I'm doing  
for my fantastic friends 
to the sun and to my mother and father 
to the world because I live and I have a good life, beyond school ... »

What I feel in the end is that these beautiful children connect super fast with yoga, girls and boys. And they do really need it a lot because they are children subject to the crazy rhythm of adults and school hours similar to a 9 - 5 job ... and no one stops thinking about what we are doing to our children ... 

On Saturday, even with a chilli weather for summer and a wind worth the title Gone with the Wind, we went to the Lisbon Book Fair in what was the first event yoga class in the event with 87 years!! 
It was super beautiful, even with the confusion of so many people, we managed to keep the energy going. People stopped, they became curious and there was always a sweet smile.
I am doing a paste of the message of Vanessa, from Funchal who took the opportunity to come to do the class with me! 
I hope you do not mind Vanessa but I liked your message so much "I could not fail to express my gratitude for yesterday's workshop at the book fair, it was so good, I came back to Funchal with a full heart and with a smile on my lips! I loved getting to know Filipa, live,  because I think I may say I have the presumption to say that I already knew a little bit through the book! Despite the confusion around us, I felt deeply connected, deep gratitude! Kisses »
What a sweetheart, thank you so much for coming Vanessa. Have a good trip and see you soon!





how many surya namaskar A and B?

1.6.17

PT
Muitas vezes os alunos perguntam-me quantos Surya Namaskar ou saudações ao Sol devemos fazer por dia. Quando comecei fazíamos 5x A e 5x B. Fiz assim durante anos sem perguntar ou questionar. Lembro-me que não gostava dos «salutes b», ficava cansada, eram difíceis para mim. Incrível como hoje adoro e faço vários do A e do B quando preciso aquecer. 
Hoje foi um daqueles dias difíceis de prática. Tive um mês de Maio com muita coisa nova a acontecer e sinto agora o cansaço no corpo. mesmo cansada... então hoje apesar de não ter acabado nos suryas, o facto é que eles foram a minha prática. Aqueci e limpei alguma toxina do cansaço.. e sinto-me bem melhor!
Mas voltemos à pergunta inicial. Posso dizer do que fui aprendendo os longo destes anos todos...
Se seguirmos a escola de Sharath Jois, que faço todos os dias, fazemos 5 Surya A e 3 B. É essa a sequência nas suas aulas guiadas. 
Se estamos a aprender, posso sugerir voltar um pouco aos old days e fazer 5 de cada (os mesmo old school faziam 8 de cada ou mais!). A ideia é ganhar energia e construir força. Especialmente se ainda não estamos no final da primary series
Mas, no fim de contas, estamos aqui para nos fazer sentir bem. Para mim o lema é: faz o que se adapta a ti. No Inverno faz mais, no Verão reduz para a contagem tradicional. Mas se paraste por algum tempo e os 8 no total são demais, vai ganhando resistência e adicionando um a um. 
E se não houver mais tempo de prática então os surya namaskar são ótimos para alinhar o corpo e mente logo pela manhã. Faz quantos quiseres. Acima de tudo, enjoy!

Vejam em baixo a sequência em foto o Surya Namaskar A e...
já são antigos mas ainda funcionam bem (qualquer dia aventuro-me a fazer uns novos, acham bem? falem comigo, a vossa opinião é muito importante para mim!)


EN
Students often ask me how many Surya Namaskar or Sun Salutations to the Sun should we should make per day. 
When I started I did 5x A and 5x B. I did it for some years without asking or questioning. I remember that I did not like 'salutes b', I got tired, they were difficult for me. Amazing how I love them today and make a bunch of A and B when I need to warm up. 
Today I had one of those difficult practice days. I had a month of May with a lot of new things happening and I now feel tiredness in my body. So today despite not finishing in the suryas, the fact is they were THE practice. I warmed and wiped some toxin out of tiredness ... and I feel much better! 
But let's return to the initial question. 
I can share what I've been learning through all these years ... 
If we follow Sharath Jois' school, which I do every day, we do 5x Surya A and 3x B. That is the sequence in his guided classes. 
If we are learning, I can suggest going back a little to the old days and doing 5x each (the real old school would do 8x each or more!). The idea is to gain energy and build strength. Especially if we are not yet at the end of the primary series. 
But at the end of the day, we are here to make us feel good. For me the motto is do what suits you best. In winter do more, in summer reduce to the traditional count. If you stopped for a while and the 8 in total are too much, gain resistance and add one by one. And if there is no practice time then the surya namaskaras are great for aligning body and the mind early in the morning. Do as many as you want. Above all, enjoy!


fotos das minhas lindas Rita Ferro Alvim e Mariana Sabido.